sábado, 25 de maio de 2013

Derrubando um Boeing 727 em nome da ciência

Aviação mundial Antecipa reportagem que vai passar no Fantastico nesse domingo.

Derrubando um Boeing 727 em nome da ciência


Vídeos da queda do 727










O que sobrou do experimento, como podemos ver na foto , foram destroços. O canal Discovery Channel derrubou um avião Boeing 727 para testar equipamentos de segurança e estudar os detalhes de um acidente aéreo.


O teste foi feito para a série Curiosidade, um programa que responde questões de ciência, tecnologia ou sociedade do mundo atual, que passa aos domingos, às 21 horas. Esse episódio em especial ainda não tem data para ir ao ar, mas deve sair esse ano.


Mais de 170 passageiros cabiam no Boeing, mas somente um piloto estava no avião, além de mais de 10 câmeras, equipamentos científicos e bonecos de teste. Ele se ejetou da nave antes dela cair.
Imagens capturadas de dentro do avião, do chão, de aeronaves que acompanhavam o Boeing e até do capacete do piloto vão mostrar o passo-a-passo da queda do 727 e suas consequências.
As filmagens foram feitas no deserto de Sonora, no México. A equipe que produziu o documentário afirmou que queria aprender mais sobre as chances de sobrevivência quando ocorre uma falha.
Segundo o jornal britânico Daily Mail, somente há quase 30 anos um experimento científico parecido se valeu da queda de um avião. A última vez tinha sido em 1984, quando a NASA e o departamento de aviação dos EUA derrubaram um Boeing 720 no deserto de Mojave, na Califórnia (EUA).

Especialistas explicam que não é comum derrubar um avião para testar seus equipamentos de segurança, embora seja um teste válido que já foi feito por autoridades de aviação antes. De qualquer maneira, todas as naves precisam cumprir certas normas de segurança, e testes rotineiros incluem dobrar a asa e o corpo do avião até seu limite para ver quanto aguentam.
A filmagem envolveu centenas de pessoas e total cooperação das autoridades mexicanas. A equipe do Discovery Channel se comprometeu a limpar o local do acidente apropriadamente.


“Este foi um feito extraordinário de organização, envolvendo até 300 pessoas no local, incluindo a equipe de produção, os pilotos, os especialistas, gestão de riscos, além de equipe local, militares, bombeiros e polícia local”, contou Sanjay Singhal, produtor executivo do documentário.


Nos resta esperar o programa ir ao ar, e, enquanto isso não acontece, espiar algumas imagens feitas por gravações amadoras.


Nenhum comentário:

Postar um comentário